Trump diz que Cameron o convidou para ir a seu gabinete em Londres

Washington, 20 Mai 2016 (AFP) - O pré-candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, disse nesta sexta-feira ter sido convidado pelo premiê britânico, David Cameron, para ir a Londres, dias depois de o polêmico bilionário ter alertado sobre desentendimentos entre os dois.

"Ele agora gostaria que eu o visitasse na Downing Street, 10 [residência oficial e escritório do primeiro-ministro]. Eles fizeram o convite há uns dois dias", disse Trump à MSNBC. "E eu devo ir", completou.

Trump também insistiu que se for eleito presidente, em novembro, "nós teremos um bom relacionamento".

O gabinete de Cameron anunciou que "é uma prática recorrente" para o primeiro-ministro britânico conhecer os virtuais candidatos à Presidência americana, sejam republicanos ou democratas, se estiverem visitando o país, mas destacou que não há nenhum encontro oficial marcado.

"Os partidos ainda têm que escolher seu candidatos, por isso não existem datas confirmadas para isso", disse um porta-voz da residência do premiê.

O tom usado por Trump marcou uma clara mudança da adotada quatro dias atrás, quando o magnata do setor imobiliário de Nova York protestou contra autoridades britânicss, inclusive Cameron, que criticaram a sugestão de Trump de banir a entrada de muçulmanos nos Estados Unidos, considerando-a "controversa, estúpida e equivocada".

Trump causou consternação em Londres ao questionar se a Grã-Bretanha deveria permanecer ou sair da União Europeia.

Mas nesta sexta-feira ele se defendeu contra as acusações - inclusive a feita por sua adversária democrata, Hillary Clinton - de que ele estaria criticando um aliado de longa data dos EUA.

"Onde eu estou atacando a Grã-Bretanha? Eu não os estou atacando", disse.

"Honestamente, se eu fosse a Grã-Bretanha, eu sairia da UE. Eu vejo o que está acontecendo e a grande migração destruindo a Europa, e a UE tem muito a ver com isso", afirmou.

"Pessoalmente, eu sairia, mas eu disse que não queria que isso influenciasse a população da Grã Bretanha".

Na segunda-feira, um porta-voz de Cameron disse que o primeiro-ministro ainda "discordava" de Trump em sua política com os muçulmanos, mas disse que o premiê deixou "claro que irá trabalhar com quem quer que seja o presidente dos Estados Unidos".

No início da semana, o polêmico bilionário dirigiu palavras para o novo prefeito de Londres Sadiq Khan, o primeiro muçulmano eleito para comandar uma capital ocidental, que disse que Trump era um "ignorante" sobre o Islã e que ele estava fazendo do mundo um lugar mais perigoso com seu discurso.

"Penso que foram declarações muito rudes e, francamente, diga a ele que vou lembrar destas declarações", disse Trump à ITV.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos