Palestina é morta após tentar esfaquear policiais na Cisjordânia

Jerusalém, 23 Mai 2016 (AFP) - Uma palestina foi abatida nesta segunda-feira depois de ter tentado esfaquear guardas fronteiriços israelenses em um posto de controle no noroeste de Jerusalém, na Cisjordânia Ocupada, indicou a polícia em um comunicado.

Os guardas fronteiriços lançaram tiros de advertência para o ar antes de abrir fogo contra a palestina, que seguia avançando na direção deles com uma faca, e matá-la, disse a polícia.

Os territórios palestinos, Jerusalém e Israel são palco desde 1º de outubro passado de uma onda de violência que já deixou 205 mortos, 28 israelenses, dois americanos, um eritreu e um sudanês, segundo um balanço da AFP.

A maioria dos palestinos mortos eram autores ou supostos autores de ataques contra israelenses.

Os ataques diminuíram, no entanto, nestas últimas semanas. A palestina morta nesta segunda-feira é a primeira desde 3 de maio.

Por sua vez, o exército israelense anunciou que os corpos de dois jovens irmãos palestinos, um menino e uma menina, acusados pelo exército de tentar esfaquear no mês passado guardas fronteiriços, foram devolvidos a sua família, quase um mês após sua morte.

Maram Abu Ismai, de 23 anos, e seu irmão Ibrahim Saleh Taha, de 16 anos, foram abatidos no dia 27 de abril depois de terem tentado atacar com uma faca dois policiais israelenses no posto de controle de Qalandya, no norte de Jerusalém, segundo a polícia.

O caso comoveu os palestinos, convencidos de que se tratava de um novo exemplo de uso excessivo da força do exército israelense.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos