Agredir policial será crime de ódio na Louisiana

Washington, 27 Mai 2016 (AFP) - Atacar um policial no estado da Louisiana será considerado "crime de ódio", segundo uma reforma legislativa inédita nos Estados Unidos que nesta sexta-feira recebeu críticas de diversas associações de defesa de minorias.

O governador do estado, John Bel Edwards, ratificou nesta quinta-feira a proposta, que inclui bombeiros e socorristas, qualificados de "verdadeiros heróis, que merecem toda a proteção que podemos oferecer".

Nos Estados Unidos, um crime de ódio ocorre quando uma pessoa ataca outra por sua raça, religião, nacionalidade, orientação sexual ou deficiência.

Considerado um delito com agravante, o crime de ódio implica automaticamente sentenças mais severas: multas, trabalhos forçados e mais anos de prisão.

Associações de defesa dos direitos das minorias afirmam que as forças da ordem na Louisiana não precisam de proteção adicional.

A organização Black Youth Project em Nova Orleans lamentou que os policiais sejam "tratados como uma categoria especial de cidadãos, acima das críticas e das leis".

"Em 2015, um número aterrador de 1.186 pessoas morreram por violência policial nos Estados Unidos, contra 42 policiais", destacou a organização.

A nova lei já recebeu o apelido de "Blue Lives Matter" (A vida dos Azuis importa), em oposição a "Black Lives Matter" (A vida dos Negros importa), que denuncia a violência policial contra os negros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos