Fujimori chega com vantagem a debate com Kuczynski por presidência do Peru

Lima, 29 Mai 2016 (AFP) - A populista de direita Keiko Fujimori chega com vantagem neste domingo para um debate chave contra seu rival de centro-direita, Pedro Pablo Kuczynski, um duelo decisivo para definir o vencedor do segundo turno das eleições presidenciais, que será realizado no dia 5 de junho no Peru.

Trata-se do último encontro entre os dois candidatos antes da eleição, em uma semana que não foi positiva para a favorita, apesar de seu crescimento nas pesquisas: o agora ex-secretário-geral de seu partido é investigado por lavagem de dinheiro, enquanto seu candidato à vice-presidência foi acusado por seus adversários de manipular gravações e enviá-las a um canal de TV para deslegitimar esta denúncia.

Enquanto isso, Kuczynski, de 77 anos, ainda se recupera de um primeiro debate que ambos tiveram em 22 de maio e que sua concorrente manejou com maior audácia e provocação, enquanto ele se concentrou em propostas, embora com uma linguagem pouco ágil e efetiva, segundo analistas.

Na última semana, Keiko, do partido Fuerza Popular, viu o aumento das intenções de voto ao seu favor e rompeu o empate técnico que mantinha com Kuczynski, do Peruanos por el Kambio (PPK, acrônimo de seu nome), segundo várias pesquisas divulgadas recentemente.

De acordo com uma simulação de votação realizada pela empresa Gfk, Fujimori, de 41 anos, se postula como a primeira presidente do Peru, ao obter 45,4% das preferências, enquanto Kuczynski, economista e ex-funcionário do Banco Mundial, conquista 41,6%.

"Faltando pouco mais de uma semana (para as eleições) é observada uma mudança na tendência de intenção de voto a favor de Keiko Fujimori. Embora os resultados da simulação estejam dentro da margem de erro, há indicações que apontam uma transformação no ânimo eleitoral", afirmou Hernán Chaparro, gerente do GFK.

O analista destacou que Fujimori tirou vantagem dos indicadores de imagem, em especial na percepção de confiança em uma vitória - "é vista com vontade de ser presidente" - enquanto Kuczynski é encarado como uma pessoa com falta de determinação por uma vitória, o que se evidenciou no primeiro debate, de 22 de maio.

Keiko é filha do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000), condenado por crimes de corrupção e contra a humanidade. Nas eleições de 10 de abril, ela obteve 39% dos votos, seguida por Kuczynski, com 21%. Além disso, seu partido Fuerza Popular obteve a maioria absoluta no Congresso (73 congressistas de um total de 130), enquanto o PPK conseguiu 18 legisladores.

As pesquisas alimentaram a sensação de que Fujimori chega neste domingo como favorita ao último debate presidencial, no qual Kuzcynski deve ser capaz de marcar diferenças e se apresentar como a alternativa democrática, diante da tentação totalitária de sua rival aos olhos de parte do eleitorado, segundo diversos analistas.

ljc-mav/ja/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos