Incêndios no Canadá: 9 mil moradores de Fort McMurray tardarão a voltar

Ottawa, 30 Mai 2016 (AFP) - A contaminação do ar e do solo por metais pesados obrigou o governo canadense a adiar o retorno de 9.000 habitantes da região de Fort McMurray, na província de Alberta, que foram evacuados há cerca de um mês devido a incêndios florestais, informaram as autoridades na segunda-feira.

A fase de retorno voluntário começará na quarta-feira, conforme previsto, para "a vasta maioria de habitantes de Fort McMurray", disse a primeira-ministra de Alberta, Rachel Notley, em coletiva de imprensa.

Mas o moradores dos três bairros mais afetados pelo fogo - Abasand, Beacon Hill e Waterways - terão que esperar.

"Eles devem planejar ficar em outro lugar pelo menos no curto prazo (...) até que os trabalhos de reparação e limpeza dos bairros sejam concluídos", disse Notley.

A maioria das casas nesses bairros foi completamente destruída pelo fogo no início de maio.

Outras 500 casas, embora não tenham sido atingidas pelo fogo, também não foram consideradas seguras até que sejam limpas, disse a chefe do departamento de saúde de Alberta, Karen Grimsrud.

Análises do ar e do solo nesses bairros revelaram a presença de metais pesados, como o arsênico, que representam "um risco aos habitantes expostos a eles", disse Grimsrud.

Essas partículas tóxicas podem causar irritação na pele e no sistema respiratório, assim como queimaduras.

Além dos 9 mil moradores dos três bairros, as autoridades pedem que as pessoas com problemas respiratórios, crianças com menos de sete anos e idosos adiem seu retorno a Fort McMurray.

Uma cerca temporária de 30 km de extensão foi construída ao redor dos três bairros mais atingidos para manter a população afastada.

Os incêndios em Fort McMurray provocaram a evacuação de cerca de 100.000 moradores e a paralisação parcial das operações nas instalações petroleiras da região.

O hospital da cidade estará plenamente operacional no dia 21 de junho e o aeroporto deve ser aberto após 10 de junho.

As chamas continuam avançando, e já atingem cerca de 580.000 hectares, mas se afastaram das áreas povoadas.

A poluição do ar causada pela fumaça também já diminuiu significativamente.

Ainda assim, Notley disse que ia pedir ao legislativo que estenda o estado de emergência até o final de junho, a fim de concluir a limpeza e de organizar o retorno dos moradores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos