Al-Qaeda reivindica ataques contra a ONU no Mali que deixaram 4 mortos

Bamako, 1 Jun 2016 (AFP) - O grupo Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) reivindicou os ataques contra a ONU em Gao, norte do Mali, que deixaram quatro mortos, incluindo um capacete azul chinês, informa o SITE, organização americana que monitora os sites islamitas na internet.

Na terça-feira às 20H45 locais, "o campo da Minusma (Missão da ONU no Mali) situado no bairro de Château d'Eau em Gao foi alvo de um ataque de morteiros ou foguete", afirma um comunicado das Nações Unidas.

"De acordo com informações preliminares, um capacete azul morreu e três ficaram gravemente feridos", completa a nota.

O ministério chinês das Relações Exteriores informou que um capacete azul do país morreu na terça-feira em um "ataque terrorista" no Mali.

Segundo o SITE, a AQMI afirmou que o atentado foi executado por membros do Al-Murabitun, grupo do líder jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar, responsável por ataques na região do Sahel.

Dois agentes malineses de segurança e um especialista internacional morreram em outro ataque contra a sede de uma empresa contratada pelo UNMAS (Serviço de Luta Antiminas das Nações Unidas), em outro bairro da cidade de Gao, afirma a Minusma.

"Mais de 10 integrantes da Minusma, incluindo civis, ficaram levemente feridos no ataque", completou a missão da ONU.

sd-bur/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos