Extremista judeu deixa a prisão após 10 meses de detenção

Jerusalém, 1 Jun 2016 (AFP) - Uma figura do radicalismo judaico em Israel, Meir Ettinger, foi libertado da prisão de Beerseva nesta quarta-feira, após dez meses de detenção preventiva, informou um porta-voz da administração parlamentar.

Meir Ettinger, de 24 anos, foi preso em agosto de 2015 por ser o mentor de uma série de agressões contra palestinos e cristãos. Era o último judeu ainda detido sem julgamento depois de uma série de prisões entre os movimentos radicais após o verão de 2015.

Os ataques culminaram em 31 de julho 2015 com o incêndio de uma casa palestina em Duma, na Cisjordânia. Um bebê foi queimado vivo e seus pais sucumbiram aos ferimentos nas semanas seguintes. Este crime marcou profundamente os palestinos.

Meir Ettinger é suspeito de pertencer a um movimento formado de jovens que esperam a restauração dos antigos reinos da Judeia e de Israel sob as leis da Torá. Para eles, a terra santa judaica é profanada pelos "idólatras" cristãos, com a cumplicidade do governo que autoriza a sua presença e cuja autoridade não é reconhecida por esses extremistas.

A justiça de Israel acusou em janeiro dois israelenses por assassinato e cumplicidade no assassinato pelo incêndio de Duma.

jjm-lal/vl/jz/mr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos