Morte de crianças no Iêmen põe coalizão saudita na lista negra da ONU

Nações Unidas, Estados Unidos, 3 Jun 2016 (AFP) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pôs em sua lista negra anual, nesta quinta-feira, a coalizão militar liderada pela Arábia Saudita que apoia o governo do Iêmen, após a morte de centenas de crianças em ataques aéreos.

Os rebeldes xiitas huthis do Iêmen que ocuparam a capital Sanaa em setembro de 2014 também foram incorporados à lista de violadores dos Direitos da Criança publicada nesta quinta-feira, que detalha crimes em 14 países.

"O surgimento e a escalada da crise tiveram um impacto aterrador em meninos e meninas", afirma um comunicado do escritório do representante das Nações Unidas para a Criança em Conflitos Armados.

"A situação no Iêmen é particularmente preocupante com a multiplicação por cinco do número de crianças recrutadas (por grupos armados), e por seis, o de crianças mortas e mutiladas em comparação a 2014", acrescenta o documento.

A coalizão liderada pelos sauditas é responsável por 60% do total de 785 crianças mortas e 1.168 feridas no ano passado no Iêmen, ainda segundo o texto.

A coalizão lançou sua campanha aérea para repelir os huthis em março de 2015, mas os rebeldes ainda controlam a capital e outras zonas do Iêmen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos