Fujimori e Kuczynski encerram campanha no Peru

Lima, 3 Jun 2016 (AFP) - A favorita para vencer o segundo turno da eleição presidencial no Peru, Keiko Fujimori, e o economista Pedro Pablo Kuczynski encerraram nesta quinta-feira suas respectivas campanhas para as eleições de domingo.

Fujimori, 41 anos e filha do ex-presidente condenado Alberto Fujimori, realizou seu último comício no subúrbio popular de Villa el Salvador, no sul de Lima, enquanto o ex-ministro da Economia e ex-banqueiro Kuczynski viajou a Arequipa, cidade do Peru onde tem amplo apoio da população.

Os dois candidatos priorizaram suas propostas sobre segurança pública, crescimento econômico e geração de empregos.

"Vamos trabalhar ativamente, como já estamos fazendo, percorrendo o país com esta energia, esta paixão, pensando em resolver os problemas de imediato. Nós representamos a mudança para nosso país", disse Fujimori para milhares de pessoas.

"Quero ser presidente do Peru (...) para construir um país grande, próspero, unido e reconciliado; e com o apoio de todos vocês terei a honra de me tornar a primeira presidente mulher do Peru".

Em seu último comício, Kuczynski ressaltou a força de sua equipe e sua experiência na administração da economia, e recordou as suspeitas que pairam sobre membros do grupo de Fujimori, como lavagem de dinheiro e narcotráfico.

"Não vamos permitir que o Peru se transforme em um país governado pelo narcotráfico, queremos um país seguro e limpo", disse Kuczynski.

De acordo com pesquisa realizada pela empresa CPI, Fujimori teria hoje 51,6% dos votos válidos, contra 48,4% para Kuczynski.

Uma pesquisa da mesma empresa, publicada em 24 de maio, atribuía 54,8% à candidata contra 45,2% de seu adversário.

Segundo o diretor do CPI, Manuel Saavedra, a pesquisa mede os efeitos do último debate que os dois concorrentes tiveram em 29 de maio, quando Kuczynski foi melhor avaliado pelos analistas, e a maciça marcha feita em 31 de maio contra Fujimori.

"A pesquisa não mede, no entanto, plenamente o apoio que quase a totalidade de partidos políticos deram ao candidato de Peruanos Pela Mudança - partido de Kuczynski - que poderia gerar nestes últimos três dias alguma mudança em um ou outro sentido", comentou o CPI em um comunicado.

Na última segunda-feira, a esquerdista Verónika Mendoza, que ficou em terceiro lugar com quase 19%, deu seu apoio a Kuczynski para, segundo disse, impedir o retorno do fujimorismo ao poder.

Vinte e três milhões de peruanos estão habilitados a votar no domingo em quem governará o país no período 2016-2021.

bur-mav/mvv/lr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos