Papa firma declaração contra tráfico de seres humanos

Cidade do Vaticano, 3 Jun 2016 (AFP) - O Papa Francisco defendeu nesta sexta-feira as vítimas do tráfico de seres humanos, em uma declaração que qualifica a prática como "crime contra a humanidade", diante de centenas de magistrados - de diferentes países - reunidos no Vaticano.

O tráfico de pessoas afeta 40 milhões de homens, mulheres e crianças em todo o mundo.

"Estes são verdadeiros crimes contra a humanidade, que devem ser reconhecidos como tal por todos os líderes religiosos, políticos e sociais, com base nas leis nacionais e internacionais", disse Francisco.

A reunião foi organizada pela Academia de Ciências Sociais da Santa Sé, dirigida pelo bispo argentino Marcelo Sánchez Sorondo.

Francisco considera o trabalho forçado, a prostituição, o comércio de órgãos e o tráfico de drogas como os grandes flagelos do século XXI.

"É imperativo gerar um movimento transversal e ondular, uma onda positiva, que abrace toda a sociedade, de cima para baixo e vice-versa, da periferia para o centro e ao contrário, dos líderes para as comunidades e dos povos e da opinião pública para os mais altos estratos dirigentes", declarou Francisco.

Segundo a declaração final, que será adotada no sábado, o tráfico de seres humanos, o trabalho forçado, a prostituição, o tráfico de órgãos e o crime organizado devem ser reconhecidos como crimes contra a humanidade.

"Peço aos juízes que realizem sua vocação e sua missão essencial de estabelecer a justiça, sem a qual não há ordem, desenvolvimento sustentável e integral ou paz social", afirmou Francisco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos