Peru: Kuczynski pede prudência à espera de resultados oficiais de presidenciais

Lima, 6 Jun 2016 (AFP) - Pedro Pablo Kuczynski, o candidato da centro-direita que lidera com vantagem sutil a disputa com a adversária, Keiko Fujimori, pela Presidência do Peru, pediu prudência aos seus muitos seguidores que aguardem os resultados oficiais antes de cantar vitória.

"Ainda não vencemos. É preciso esperar os resultados oficiais", disse Kuczynski da varanda de sua casa, onde apareceu acompanhado dos dois candidatos à vice-presidência, de sua esposa e de duas de suas filhas.

Segundo contagem rápida de votos feita por dois institutos de pesquisas, Kuczynski, um empresário bem sucedido, vencia o segundo turno das eleições presidenciais peruanas por estreita margem.

O instituto Ipsos deu a Kuczynski 50,5% dos votos contra 49,5% para Fujimori, enquanto o Gfk atribuiu a Kuczynski 50,8% dos votos e 49,2% para Fujimori. A margem de erro nos dois casos é de um ponto percentual.

"Tomemos estes resultados preliminares com otimismo, mas com modéstia", disse o candidato, que pediu aos seus seguidores que permaneçam "vigilantes até o último voto", antes de acrescentar que este domingo os peruanos demonstraram que "temos um país democrático".

"Vamos poder governar o Peru rumo a um horizonte melhor", disse, acrescentando que haverá um governo de "consenso".

"Chega de disputas e enfrentamentos", concluiu este economista, que foi ministro várias vezes, primeiro-ministro, banqueiro de sucesso, funcionário do Banco Mundial e empresário, conhecido no Peru pelo acrônimo de seu nome, PPK, ou simplesmente como "o gringo" por seu leve sotaque anglo-saxão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos