Governo venezuelano estende racionamento de energia elétrica

Em Caracas

  • Meridith Kohut/The New York Times

As autoridades venezuelanas estenderam neste domingo o plano de racionamento elétrico a partir de segunda-feira, como medida diante da crise provocada pela seca gerada pelo fenômeno "El Niño", que reduziu o nível das represas do sistema hidroelétrico.

A decisão faz parte de um plano de economia iniciado há quatro meses e implicou, ainda, a antecipação em 30 minutos do horário (-1h com relação a Brasília), a redução do serviço elétrico em centros comerciais e hotéis, e a adoção de vários pontos facultativos.

Em comunicado, o ministério da Energia Elétrica adverte que o racionamento "será prorrogável dependendo das condições climáticas e do nível da represa de El Guri", que fornece 70% da eletricidade consumida no país.

Entre as medidas tomadas, o governo do presidente Nicolás Maduro reduziu a jornada de trabalho semanal no setor público para segunda e terça-feira.

O presidente afirma que a seca é a pior em 40 anos, mas a oposição culpa o governo de improvisar com as medidas e não ter feito manutenção adequada da infraestrutura por desorganização administrativa.

A Venezuela, que viveu uma profunda crise elétrica em 2010, sofre com apagões, sobretudo nas províncias, e racionamentos de água, o que aumenta as dificuldades diárias no país, mergulhado em uma aguda crise econômica, com a inflação mais alta do mundo (180% em 2015) e uma escassez de alimentos que provocam longas filas nos supermercados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos