Virginia Raggi, a nova face do Movimento Cinco Estrelas

Roma, 6 Jun 2016 (AFP) - Bem colocada para se tornar a primeira mulher a chegar à Prefeitura de Roma, Virginia Raggi é uma jovem advogada de 37 anos e figura ascendente do partido de oposição Movimento Cinco Estrelas (M5S).

"Estamos vivendo um momento histórico", disse no domingo após vencer o primeiro turno das eleições municipais em Roma.

Desconhecida do público até poucos meses, inclusive em Roma, Raggi se tornou candidata do partido de centro-esquerda apoiado pelo primeiro-ministro, Matteo Renzi, e obteve mais de 35% dos votos, segundo resultados quase definitivos.

E no dia 19 de junho tem muitas possibilidades de vencer o segundo turno e se tornar a primeira prefeita da capital italiana.

Nascida em Roma, Raggi entrou para a política somente cinco anos atrás, seduzida pelo discurso radical do M5S, que jurou, como outros partidos na Europa, acabar com os políticos tradicionais.

Roma se viu particularmente afetada pela retirada em 2015 do ex-prefeito de centro-esquerda, relacionado com um caso de contas falsas.

Raggi assegurou à AFP que o nascimento de seu filho Matteo a convenceu de atuar diante da degradação da capital, uma situação que incomoda grande parte de seus mais de dois milhões de habitantes.

Eleita vereadora em 2013, a candidata, jurista formada na Universidade de Roma especializada em propriedade intelectual, foi rapidamente reconhecida por sua eloquência e obstinação.

Grande parte de sua infância no bairro romano de São João de Latrão foi passada estudando, recorda. "Era uma criança curiosa, interessada em muitas coisas, mas sempre me concentrava em meus objetivos, como continuo fazendo até agora. De fato, nunca me faltou determinação", explica em sua página na web.

Para pensar na prefeitura teve inicialmente que ganhar as primárias do M5S, organizadas na internet seguindo a filosofia participativa do partido. Pouco depois, os romanos descobriram seu cabelo castanho e seus olhos pretos nos grandes cartazes no metrô e nos ônibus.

Raggi conquistou seu sucesso graças ao incômodo de seus concidadãos, cansados de anos de imobilismo e ineficácia da administração local em questões como o transporte público.

Agora terá que transformar seu sucesso em vitória no segundo turno e logo demonstrar sua aptidão para o cargo. Se conseguir se tornar prefeita poderia se estabelecer como líder do partido, sobretudo depois que seu fundador, o humorista Beppe Grillo anunciou sua aposentadoria.

Raggi parece ter seduzido os romanos, apesar de sua seriedade durante a campanha.

Em um debate na televisão se manteve com um olhar duro e o rosto fechado às críticas incessantes de seus adversários e não foi até o final que lançou uma mensagem que parece ter atingido muita gente: "Se querem que tudo fique igual, votem neles".

Raggi também terá que convencer os eleitores de sua independência frente ao M5S, um movimento acusado de falta de transparência e onde o grupo de Beppe Grillo acumula muito poder.

Como todos os candidatos do M5S, Raggi teve que assinar um código de boa conduta que a obriga pedir autorização a esse grupo cada vez que nomear um novo colaborador e também de consultá-los para tomar decisões importantes.

"É melhor ter quatro ou seis olhos para controlar melhor as coisas (...) mas ser totalmente autônoma", prometeu durante a campanha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos