Indígenas estão sem água potável há 20 anos no Canadá, diz HRW

Ottawa, 7 Jun 2016 (AFP) - Milhares de aborígenes carecem de água potável no Canadá, alguns deles há décadas, por falhas de saneamento ou ausência de estações de tratamento de esgoto e resíduos contaminantes, denunciou na terça-feira a ONG Human Rights Watch.

Para enfrentar esta "crise da água", o governo canadense deve assumir suas responsabilidades, reclamou a ONG americana de defesa dos direitos humanos em um relatório.

Os problemas arraigados de água potável afetam dezenas de reservas indígenas no Canadá e agravam as condições de higiene e saúde das suas populações.

Em 89 das 600 reservas autóctones, a água da torneira não é potável, de modo que é necessário fervê-la antes do consumo. Há 20 anos, diversas advertências nesse sentido são feitas em várias dessas comunidades, a maioria delas localizadas na província de Ontário (leste).

A organização ressalta o paradoxo de uma crise que atinge os nativos de um país com imensas reservas de água doce.

Entre as causas, a HRW menciona a falta de regulamentação sobre a qualidade da água nas reservas, que é responsabilidade do Estado.

"A crise da água é o resultado de anos de discriminação", afirmou Amanda Klasing, autora do relatório, no qual urge ao governo canadense que aborde este assunto tanto nos seus sintomas como em suas causas mais profundas.

A ONG chama a atenção sobre os deveres do governo canadense, que financia e supervisiona a construção de estações de tratamento de águas, que algumas vezes resultam em infraestruturas que não cumprem com as normas mínimas de qualidade que regem no resto do país.

A organização lamentou também o esporádico e insuficiente financiamento governamental, as infraestruturas defeituosas ou medíocres, e as fontes de água degradadas ou contaminadas por bactérias como a E.coli e por elementos como o urânio.

Para este relatório, a HRW visitou cinco reservas em Ontário, entrevistou cerca de cem lares nativos e reuniu dados do governo sobre 191 sistemas de tratamento de águas em 137 comunidades.

Os problemas de saúde vinculados ao consumo de água não-potável mencionados nos lares foram, segundo o relatório, infecções cutâneas, eczemas e psoríase. Os pais evitam que seus filhos passem muito tempo na banheira ou no chuveiro, por medo a um contágio.

A HRW saudou o compromisso anunciado pelo primeiro-ministro, Justin Trudeau, de investir 9,2 bilhões de dólares em infraestrutura - principalmente em equipamentos de tratamento de águas residuais -, em habitações populares e em educação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos