ONU: mais de 10.000 migrantes mortos no Mediterrâneo desde 2014

Genebra, 7 Jun 2016 (AFP) - Mais de 10.000 pessoas morreram desde 2014 ao tentar atravessar o Mediterrâneo para chegar ao continente europeu, anunciou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Em 2014, 3.500 pessoas morreram no Mediterrâneo, no ano passado 3.771, aos quais se adicionam 2.814 mortes em 2016, afirmou o porta-voz do ACNUR, , Adrian Edwards.

Desde 2014, o número de mortos no Mediterrâneo não para de aumentar, segundo o porta-voz.

A marca de 10.000 falecidos foi superada nos últimos dias.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) calcula que desde o início de 2016 aconteceram 2.809 mortes no Mediterrâneo. No primeiro semestre de 2015 foram 1.838 vítimas fatais.

"O número de mortes no Mediterrâneo em 2016 supera em quase 1.000 pessoas o balanço do primeiro semestre de 2015, mas ainda faltam três semanas para o fim do primeiro semestre de 2016", afirma a OIM em um comunicado.

A organização também revelou detalhes sobre o naufrágio na semana passada de um barco de migrantes nas costas de Creta.

De acordo com a OIM, que se baseia em testemunhos, ao menos 648 estavam a bordo da embarcação e 320 permanecem desaparecidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos