Argentinos fazem longas filas em postos por greve de caminhoneiros

Buenos Aires, 10 Jun 2016 (AFP) - Milhares de motoristas formaram longas filas nesta sexta-feira nos postos de gasolina de Buenos Aires e arredores diante do risco de desabastecimento dos combustíveis por uma greve de motoristas.

O ministério do Trabalho estabeleceu a conciliação obrigatória no conflito com o Sindicato de Caminhoneiros, que pede melhorias salariais. No entanto, a medida conciliatória ainda não foi acatada.

A greve de 48 horas foi declarada pelo poderoso sindicatos dos motoristas de caminhão liderado por Hugo Moyano, líder da central sindical peronista CGT, presidente do clube Independiente e candidato a presidir a Associação de Futebol Argentino (AFA).

Os caminhoneiros pedem 42% de aumento salarial em um contexto de aumento de tarifas de 200% a 900% na luz e de até 2.000% nas de gás na Patagônia. A inflação anual é de aproximadamente 40%, segundo as consultorias econômicas privadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos