Ganhadores do Nobel advertem sobre risco de Brexit

Londres, 11 Jun 2016 (AFP) - Treze Prêmios Nobel britânicos alertaram, neste sábado, que um Brexit colocaria "em perigo" a pesquisa científica no Reino Unido, em um momento no qual a proposta de uma saída da UE parece se firmar nas pesquisas.

Em uma carta dirigida ao jornal The Daily Telegraph, o grupo de cientistas considerou que "a perspectiva de perda do financiamento da UE constitui um grande risco para a pesquisa científica britânica".

"A ciência alimenta nosso bem-estar, nosso sistema de saúde, nossa capacidade de inovação e nosso crescimento econômico", alertaram os pesquisadores, entre os quais estão o físico Peter Higgs, Prêmio Nobel em 2013, e o bioquímico Paul Nurse, laureado em 2001.

"As afirmações dos pró-Brexit de que o Tesouro iria preencher esse buraco (no financiamento) são ingênuas", completaram, destacando que a parte do PIB britânico destinada à pesquisa já se situa "muito abaixo da média dos países da UE e da OCDE".

A carta dos cientistas chega quando uma nova pesquisa do instituto ORB para o jornal digital The Independent dá 10 pontos de vantagem ao "sim" para o Brexit, a 12 dias do referendo.

Segundo o ORB, que entrevistou 2.000 pessoas, 55% dos britânicos são a favor de abandonar a UE, frente a 45% que preferem permanecer.

As últimas pesquisas de opinião falavam em um avanço no campo do "Sair", fazendo cair a moeda britânica e semeando o pânico entre os partidários da permanência no bloco.

- "Por favor, não se vá" -Lord Rob Haywar, parlamentar e respeitado especialista em matéria de eleições, considerou que "as probabilidades se decantam a favor de um voto para sair" da UE. Segundo ele, as pesquisas poderiam subestimar o apoio ao Brexit.

"Acredito que vamos ganhar", profetizou na sexta-feira na BBC Nigel Farage, líder do partido anti-europeu Ukip, que transformou a saída do Reino Unido da UE em objetivo de sua vida política.

Frente à ameaça de Brexit, o Partido Trabalhista britânico, discreto até agora, emancipou-se de seu líder Jeremy Corby, acusado de defender com pouco entusiasmo a permanência do Reino Unido na UE, para endurecer sua posição anti-Brexit.

"Devemos redobrar nossos esforços", declarou o vice-presidente trabalhista Tim Watson na BBC. Um Brexit "levaria a um estado de urgência orçamentária, novos cortes no setor público e aumento de impostos", afirmou um pouco antes, apoiando-se em um relatório do Instituto de Estudos Orçamentários.

A Der Spiegel, principal revista alemã, suplicou neste sábado aos britânicos que escolham a permanência na UE, em uma edição especial, publicada, em grande parte, em inglês.

"Please don't go" ("Por favor, não se vá"), publicou o influente semanário em sua capa, com a bandeira Union Jack ao fundo.

Em uma entrevista à revista, da qual alguns trechos foram revelados nesta sexta-feira, o ministro alemão das Finanças, Wolfgang Shcäuble, advertiu o Reino Unido que "dentro é dentro, fora é fora", e que o país já não se beneficiaria das vantagens do mercado único europeu em caso de Brexit.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos