FBI investiga ataque a boate de Orlando como ato terrorista

Miami, 12 Jun 2016 (AFP) - Cerca de 20 pessoas morreram em uma boate de Orlando, estado americano da Flórida, neste domingo, depois que um atirador fez reféns e policiais intervieram, informaram autoridades.

"Infelizmente, algumas pessoas morreram baleadas dentro do local, provavelmente umas 20", indicou o chefe da polícia de Orlando, John Mina, em entrevista coletiva. Segundo ele, outras 42 pessoas foram levadas para três hospitais da região.

"A situação se tornou uma tomada de reféns", assinalou Mina. "Por volta das 5h, foi tomada a decisão de resgatar as pessoas que estavam sendo mantidas no local.

Não estava claro se as vítimas morreram durante a tomada de reféns ou no confronto entre o atirador e a polícia.

"O agressor está morto dentro do local", anunciou a polícia no Twitter antes da entrevista. Pouco antes, informou que havia realizado uma "explosão controlada" em frente à boate, sem dar detalhes.

O FBI anunciou que investiga o caso como um ato terrorista, considerando que o suspeito poderia ter "inclinação" pelo terrorismo islâmico.

O incidente na boate Pulse, centro de Orlando, começou por volta das 2h locais. Segundo testemunhas, um homem abriu fogo com uma arma automática.

"Por volta das 2h, alguém começou a atirar. As pessoas se jogaram no chão", contou um dos clientes, Ricardo Negron, à Sky News. A testemunha disse ter ouvido disparos contínuos por quase um minuto, embora tenha parecido muito mais.

- 'Saiam e corram!' -

A boate Pulse, que se apresenta em seu site como "o bar gay mais quente de Orlando", publicou no Facebook uma última mensagem urgente: "Saiam e corram!"

Ambulâncias se dirigiam para o local, além de um veículo de controle de crises.

"Tiroteio na Boate Pulse, em S Orange. Várias vítimas. Mantenham-se fora da área", publicou a polícia de Orlando no Twitter.

A testemunha Christopher Hanson disse que ouviu "fortes barulhos de disparos. Não vi os atiradores, apenas corpos caindo quando eu pedia bebida no bar. Caí e fui me arrastando até o lado de fora. As pessoas tentavam escapar", descreveu à rede de TV CNN, acrescentando que "havia sangue por todos os lados".

Rosie Feba estava com uma amiga quando os disparos começaram. "Ela me disse que alguém estava atirando. Todo mundo se jogou no chão", contou ao jornal "Orlando Sentinel". "Disse a ela que não acreditava, achei que fosse parte da música, até que vi fogo saindo da arma."

Este foi o segundo ataque na cidade em pouco mais de 24 horas, depois que a cantora Christina Grimmie, ex-participante do programa de TV "The Voice", foi morta, sexta-feira, por um homem que a atacou após um show.

O teatro onde Christina foi agredida fica a seis quilômetros da boate Pulse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos