Dez "terroristas" mortos em confrontos no Irã

Teerã, 13 Jun 2016 (AFP) - Dez "terroristas" armados - cinco rebeldes curdos e cinco jihadistas - e um policial morreram em dois confrontos separados no noroeste e sudeste do Irã, informou a imprensa do país.

"Uma célula de cinco terroristas do pequeno grupo PJAK foi identificada e destruída na região de Sardasht", na fronteira com o Iraque, informou a Guarda Revolucionária, tropa de elite da República Islâmica, em um comunicado divulgado pela agência Sepahanews.

Os militantes curdos membros do PJAK mataram três basidjis (milicianos próximos à Guarda Revolucionária) há um mês, completa o comunicado.

O Partido por uma Via Livre no Curdistão (PJAK) é uma organização próxima ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) da Turquia.

Os últimos confrontos entre rebeldes curdos e a Guarda Revolucionária haviam acontecido em setembro de 2015, com quatro mortos, dois de cada lado. Os rebeldes curdos cometem com frequência ataques contra as Forças Armadas nesta região de fronteira com o Curdistão iraquiano.

O canal de televisão estatal Irib também informou a morte de cinco "terroristas" jihadistas e a de um policial durante outro confronto na região de Khash (sudeste).

Os jihadistas integram o grupo Jaish al-Adl, que nos últimos anos cometeu vários atentados na província de Sistão-Baluchistão, sudeste do Irã.

Teerã acusa o grupo de estar vinculado à Al-Qaeda e de entrar no Irã através do Paquistão.

O Irã, que tem 90% da população xiita, também conta com minorias sunitas em algumas províncias fronteiriças, em especial no Curdistão (noroeste), no Sistão-Baluchistão e em Juzistan (sudoeste).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos