FBI diz ter convicção de que atirador de Orlando se radicalizou pela internet

Washington, 13 Jun 2016 (AFP) - A polícia federal americana, o FBI, está convicto de que o autor do massacre na boate de Orlando se radicalizou através da internet, segundo afirmou nesta segunda-feira seu diretor James Comey.

"Estamos altamente seguros de que o assassino se radicalizou e, ao menos, parte através da internet", afirmou Comey em uma coletiva de imprensa no dia seguinte ao tiroteio que deixou 49 mortos, mais o atirador, e 53 feridos, e que foi reivindicado pelo grupo jihadista Estado Islâmico.

Mas as autoridades não encontraram evidências de que o ataque tenha sido coordenado por um grupo do exterior, assinalou Comey, confirmando o que anterioirmente disse o presidente Barack Obama.

O FBI confirmou que, durante o tiroteio, seu autor, Omar Mateen, telefonou par os serviços de emergência (911) para expressar sua lealdade ao Estado Islâmico, e que havia sido investigado antes seus contatos com um homem-bomba americano.

Mas Comey evocou uma confusão sobre as motivações de Mateen por seus comentários "incendiários e contraditórios", assinalando que os o atirador disse ter conexões familiares com a Al-Qaeda e outros vínculos com o Hezbolah e grupos adversos ao EI.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos