Mais de 8.000 detidos em Bangladesh após mortes de representantes de minorias

Dacca, 13 Jun 2016 (AFP) - A polícia de Bangladesh anunciou nesta segunda-feira a detenção de mais de 8.000 pessoas em uma operação nacional contra radicais suspeitos de assassinatos contra minorias religiosas e ativistas civis.

No total, 3.245 suspeitos foram detidos nas últimas 24 horas, o que eleva a 8.192 o número de detenções desde o início da operação na sexta-feira, afirmou o porta-voz da polícia, Kamrul Ahsan.

A comunidade internacional pressionava de forma crescente as autoridades de Bangladesh por medidas fortes após uma série de assassinatos que deixaram mais de 40 mortos - intelectuais, defensores do Estado laico e membros das minorias religiosas - em três anos.

A vítima mais recente foi um sacerdote hindu, de 70 anos, a 11ª pessoa assassinada em pouco mais de dois meses.

Vários ataques foram reivindicados pela organização Estado Islâmico (EI). Mas o governo de Bangladesh, liderado por Sheikh Hasina, atribui os assassinatos a islamitas bengaleses e nega a presença no país do EI e de um braço da Al-Qaeda no sul da Ásia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos