Presidência provisória do Haiti chega ao fim e país fica sem governante

Porto Príncipe, 15 Jun 2016 (AFP) - O Parlamento do Haiti encerrou na terça-feira à noite o mandato provisório de Jocelerme Privert sem chegar a uma solução para evitar um vazio de poder.

"Em 14 de junho de 2016 terminou o mandato de 120 dias do presidente provisório da República", afirma um comunicado assinado pelo presidente da Câmara dos Deputados e pelo vice-presidente do Senado, após uma sessão conjunta.

Jocelerme Privert foi designado em fevereiro pelo Parlamento para ocupar o cargo de presidente por 120 dias, após a saída de Michel Martelly, que concluiu seu mandato sem entregar o poder a um sucessor eleito nas urnas.

Centenas de partidários de Privert protestaram na terça-feira em Porto Príncipe para pedir sua permanência à frente do governo até a organização de novas eleições.

O Haiti enfrenta uma profunda crise política desde o primeiro turno das eleições presidenciais, celebrado em 25 de outubro do ano passado. Os resultados da votação foram muito questionados pela oposição, que denunciou um "golpe de Estado eleitoral" a favor de Martelly.

Uma comissão de avaliação concluiu que a eleição de outubro teve "fraudes em massa" e anulou o pleito.

Os seis milhões de eleitores haitianos foram convocados a votar novamente para presidente nos dias 9 de outubro e 9 de janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos