UE tem forte queda de pedidos de asilo no começo de 2016

Bruxelas, 16 Jun 2016 (AFP) - O número de novos pedidos de asilo na União Europeia caiu um terço nos três primeiros meses de 2016 com relação ao trimestre anterior até atingir as cerca de 290 mil solicitações, informou nesta quinta-feira o escritório europeu de estatísticas Eurostat.

Entre estes, os "primeiros demandantes de asilo", de nacionalidade principalmente síria, mais de 60% apresentaram a solicitação na Alemanha, que também é o país com o percentual mais elevado de solicitantes com relação à sua população, segundo cifras da Eurostat.

No fim de março, os países da UE continuavam examinando ainda "pouco mais de um milhão" de demandas de asilo.

"Durante o primeiro trimestre de 2016, 287.100 novos demandantes de asilo apresentaram uma petição de proteção internacional nos Estados-membros da UE, isto é, uma queda de 33% com relação ao quarto trimestre de 2015", segundo a Eurostat.

Os sírios, mais de 102.000 entre os novos solicitantes de asilo de janeiro a março, "continuaram sendo a principal nacionalidade de pessoas que solicitam uma proteção internacional" na UE, "à frente de iraquianos e afegãos", com 35.000 solicitantes cada um.

Depois da Alemanha, onde foram apresentadas 175.000 novas solicitações no primeiro trimestre (61% do total), a lista de países mais solicitados continua com Itália (8%), França (6%), Áustria (5%) e Reino Unido (4%).

Com relação à população de cada Estado-membro, a Alemanha também encabeça a lista, com 2.155 demandantes de asilo entre janeiro e março por cada milhão de habitantes, seguida da Áustria (1.619), Malta (904), Luxemburgo (888), Suécia (790), Chipre(749) e Hungria (693).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos