Polícia britânica investiga pista da extrema-direita em assassinato de deputada

Londres, 17 Jun 2016 (AFP) - A polícia britânico informou nesta sexta-feira que está dando prioridade a duas linhas de investigação no assassinato da deputada Jo Cox, a saúde mental do suspeito e sua relação com a extrema-direita.

O histórico mental do suspeito e seus prováveis laços com o extremismo de direita são uma linha prioritária de investigação, segundo afirma em comunicado Dee Collins, comandante da polícia de West Yorkshire.

Na quinta-feira, a deputada britânica, de 41 anos, mãe de dois filhos, foi atacada a tiros em Birstall, no norte da Inglaterra, e morreu em decorrência dos ferimentos pouco depois, em um hospital de Leeds.

Cox era partidária da permanência do país na União Europeia e, segundo vários meios de comunicação, seu agressor gritou "Reino Unido primeiro!", um lema da ultradireita britânica.

O Reino Unido não registrava o assassinato de um político desde os anos 1980 e o começo dos 1990, quando eram alvo do IRA (Exército de Libertação Irlandês).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos