Cameron pede união do Parlamento após assassinato de deputada

Londres, 20 Jun 2016 (AFP) - O primeiro-ministro conservador britânico David Cameron pediu nesta segunda-feira aos membros do Parlamento a "unir-se contra o ódio que matou" a deputada trabalhista Jo Cox, durante uma homenagem solene a três dias do referendo sobre a permanência do país na UE.

"Vamos honrar a memória de Jo provando que a democracia e a liberdade pelas quais ela lutava são inquebráveis, continuando a lutar para os nossos cidadãos e unidos contra o ódio que a matou", disse Cameron perante o Parlamento reunido em sessão especial.

O líder da oposição trabalhista, Jeremy Corbyn, com uma rosa branca na lapela como todos os deputados, pediu que a vida política seja " mais gentil".

"Todos nós temos a responsabilidade de não incitar ao ódio ou semear a divisão", argumentou, enquanto que o marido de Jo Cox e seus dois filhos de 3 e 5 anos estavam na Câmara dos Comuns.

Jo Cox, comprometida na campanha pela permanência na UE, foi morta na quinta-feira em Birstall, no norte da Inglaterra, a tiros e facadas. Seu assassino compareceu no sábado ante o tribunal e declarou: "Morte aos traidores, liberdade para o Reino Unido."

fb-mc/at/mr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos