UE amplia funções da operação naval na Líbia

Luxemburgo, 20 Jun 2016 (AFP) - Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE) concordaram nesta segunda-feira em ampliar as funções de sua operação naval nas costas da Líbia, que poderá a partir de agora formar a Guarda Costeira líbia e lutar contra o tráfico de armas neste país.

A operação "Sophia" foi iniciada há um ano para lutar contra as redes de traficantes de seres humanos no Mediterrâneo central, mas a ONU aprovou na semana passada que também assumisse a responsabilidade de vigiar em alto-mar o cumprimento do embargo de armas imposto à Líbia em 2011.

A operação naval foi decidida pelos dirigentes europeus na primavera de 2015 após um trágico naufrágio na costa da Líbia que matou 850 migrantes que desejavam chegar à Itália.

A medida foi prorrogada até 27 de julho de 2017, informou o Conselho da UE, que representa os 28 países membros, em um comunicado.

A Sophia ajudou a salvar no último ano quase 16.000 migrantes e resultou na detenção de quase 70 traficantes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos