Jovens presos na Arábia Saudita por aparência incompatível com o Islã

Riade, 21 Jun 2016 (AFP) - Cinquenta jovens foram presos em junho em Meca, a cidade santa na Arábia Saudita, por usar cortes de cabelo e roupas consideradas contrárias ao islamismo.

Segundo o site de informação Sabq, estas prisões foram feitas durante uma campanha realizada na cidade sagrada do islamismo, ao leste da Arábia Saudita, durante o Ramadã, o mês de jejum muçulmano que começou no dia 6 de junho.

Os jovens foram presos por cometerem "um certo número de infrações como: usar cortes de cabelo estranhos, correntes no peito ou no punho e vestimentas curtas e sem pudor, tanto homens como mulheres", acrescentou o Sabq, site próximo às autoridades do país.

Os agentes encarregados de aplicar a lei advertiram os cidadãos sobre os "costumes e tradições contrárias à doutrina" do islamismo.

A Arábia Saudita, berço do wahabismo, uma versão rígida do islamismo, é um país ultraconservador que impõe uma série de restrições, principalmente às mulheres.

Os jovens menores de 25 anos representam mais da metade da população do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos