OEA conclui sessão sem decisão sobre Carta Democrática à Venezuela

Washington, 23 Jun 2016 (AFP) - A Organização de Estados Americanos (OEA) concluiu nesta quinta-feira uma sessão extraordinária de seu Conselho Permanente sobre a crise na Venezuela sem adotar uma decisão sobre a aplicação da Carta Democrática em relação a Caracas.

Depois de quatro horas de discussões, o embaixador da Argentina, Juan José Alcurri, que ocupa a presidência rotativa do Conselho, encerrou a sessão sem que os países tivessem decidido adotar algum tipo de medida para responder à situação venezuelana.

Antes, o secretário-geral da OEA, Luis Almagro, pediu aos países do continente que ficassem "do lado certo da história" ao defender a democracia na Venezuela.

"O Conselho Permanente deve manter-se do lado correto da história e defender um povo que precisa de voz", afirmou Almagro ante o plenário de embaixadores dos 34 países da OEA durante a reunião deste corpo em Washington.

A democracia venezuelana foi examinada pela sessão extraordinária convocada por Almagro e à qual Caracas se opunha.

Almagro apresentou aos embaixadores dos 34 países do fórum regional seus questionamentos quanto à situação dos direitos humanos e políticos na Venezuela, contidos em um crítico relatório de 132 páginas que evoca a Carta Democrática Inter-americana.

Os países da região deviam realizar uma apreciação coletiva para determinar se o governo venezuelano cumpre com as normas democráticas fixadas na Carta, um documento vinculante que faculta à OEA o direito de atuar em casos de "alteração da ordem pública" em um país membro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos