EUA: relatório sobre tráfico de pessoas mantém críticas à Venezuela

Washington, 30 Jun 2016 (AFP) - O Departamento de Estado americano manteve suas críticas à Venezuela no seu relatório anual sobre o tráfico de pessoas, e colocou o Haiti no grupo de países que não cumprem suas obrigações e não mostram progressos nessa matéria.

No relatório de mais de 400 páginas, divulgado nesta quinta-feira, a Venezuela foi mantida no último grupo de países, que foram divididos de acordo com o cumprimento dos compromissos de combate ao tráfico de pessoas.

O documento afirma que a Venezuela "não cumpre plenamente os padrões mínimos para a eliminação do tráfico [de pessoas] e não está fazendo esforços significativos para isso".

O texto aponta, ainda, que Caracas divulga "informações mínimas" sobre seus esforços e que a "falta de dados confiáveis sobre os esforços governamentais torna difícil avaliá-los".

O Departamento de Estado situou apenas o Chile, a Colômbia e o próprio EUA no grupo 1, dos países que "cumprem em sua totalidade" seus compromissos de combater e prevenir o tráfico de pessoas.

Brasil, Argentina, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai foram colocados no grupo 2, dos países que não cumprem seus compromissos na totalidade mas demonstram "esforços significativos".

Bolívia, Costa Rica e Cuba também foram mantidos no grupo 2, mas na "lista de observação", já que, segundo o Departamento de Estado, apesar dos esforços oficiais foi verificado um aumento das atividades de tráfico de pessoas.

No informe anterior, o Haiti figurava nesse grupo, mas na edição divulgada nesta quinta-feira foi rebaixado para o grupo dos descumpridores.

O documento considera que Líbia, Somália e Iêmen são "casos especiais".

O relatório é um "trabalho formidável", disse o chefe da diplomacia americana, John Kerry.

"Houve algumas decisões difíceis", afirmou, acrescentando que as listas foram feitas a partir de fatos e critérios definidos e não por considerações políticas, um dos aspectos mais criticados em relação a relatórios passados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos