Governo francês adotará reforma trabalhista sem votação parlamentar

Paris, 5 Jul 2016 (AFP) - O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, anunciará nesta terça-feira que recorrerá a uma medida constitucional que lhe permite adotar uma polêmica reforma trabalhista sem votação em uma nova leitura no Parlamento, informaram fontes políticas.

"A decisão está tomada e o primeiro-ministro a anunciará oficialmente no Parlamento, normalmente no início dos debates, às 15h00" locais (10h00 de Brasília), disse uma fonte.

O Executivo socialista carece de maioria para fazer esta lei ser votada, já que parte dos próprios deputados socialistas se opõem a ela, ao considerá-la muito liberal, enquanto a oposição de direita a considera insuficiente.

Este projeto de reforma trabalhista provocou quatro meses de protestos na França, com greves em vários setores, e muitos dias de mobilização social, a última das quais está convocada para esta terça-feira.

O governo francês já utilizou esta medida constitucional, o artigo 49-3, para levar à adoção desta reforma liberal pela Câmara Baixa em primeira leitura.

O Executivo explica que com esta reforma quer combater um desemprego endêmico - superior a 10% - facilitando os contratos em um mercado trabalhista mais flexível. Os opositores, por sua vez, acreditam que apenas aumentará a precariedade laboral.

parl-map-frd/gd/fb/me.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos