Putin e Obama querem maior coordenação militar na Síria

Moscou, 6 Jul 2016 (AFP) - O presidente russo, Vladimir Putin, e seu colega americano, Barack Obama, conversaram por telefone nesta quarta-feira (6) e se mostraram dispostos a "intensificar a coordenação" militar entre os dois países na Síria - anunciou o Kremlin.

"As duas partes confirmaram seu desejo de intensificar a coordenação entre os militares russos e americanos na Síria", declarou o Kremlin em um comunicado, sem especificar como essa cooperação será articulada.

No telefonema, o presidente russo também pediu a Obama que trabalhe para que os grupos rebeldes moderados sejam distinguidos dos radicais da Frente al-Nusra, braço sírio da Al-Qaeda, e de outros grupos extremistas "não abrangidos pela trégua", informou o governo russo.

Ambos os presidentes destacaram a importância de que as conversas sob o guarda-chuva da ONU sejam retomadas, depois que as duas rodadas de negociação organizadas em Genebra desde o início do ano não avançaram para um diálogo de paz.

Nesta quarta-feira (6), o Exército sírio decretou um cessar-fogo de 72 horas em todo o país, coincidindo com a celebração do Eid al-Fitr, festa que marca o fim do mês de jejum muçulmano do Ramadã.

Em 27 de fevereiro, entrou em vigor uma trégua das hostilidades promovida por Estados Unidos e Rússia em todo o país, salvo nas regiões controladas pelos extremistas. Essa trégua foi repetidamente violada.

Hoje, o secretário de Estado americano, John Kerry, celebrou o anúncio do cessar-fogo, destacando seu desejo de que "seja respeitado por todas as partes".

tbm/ger/aoc-an/lmm./tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos