Atirador de Dallas: solitário veterano de guerra e dono de arsenal

Washington, 9 Jul 2016 (AFP) - O franco-atirador de Dallas, identificado como Micah Xavier Johnson, era um veterano solitário do Exército que pretendia devolver na mesma moeda as recentes mortes de dois cidadãos negros nas mãos de policiais brancos.

O autor do tiroteio que matou cinco policiais, e feriu outras nove pessoas, era reservista do Exército e ex-combatente na guerra do Afeganistão - informou o Pentágono.

Johnson, um afro-americano de 25 anos, serviu no Afeganistão entre novembro de 2013 e julho de 2014, acrescentou o Exército americano.

No Afeganistão, Johnson era soldado, mas também fazia trabalhos de alvenaria e carpintaria, descreveu a porta-voz do Pentágono Cynthia Smith.

De acordo com a imprensa local, não tinha ficha na Polícia.

Uma manifestação contra a violência policial contra os cidadãos negros transformou-se, na quinta-feira à noite, em um caótico banho de sangue no centro de Dallas, degenerando em um tiroteio violento que chocou o país.

A Polícia conseguiu encurralar Johnson em um edifício e tentou negociar sua rendição. Nessa negociação, o jovem disse que não pertencia a nenhuma organização e que queria apenas matar policiais brancos, declarou o chefe da Polícia dessa cidade texana, David Brown.

Ele também afirmou ter instalado explosivos em todo o centro de Dallas, embora nenhuma bomba tenha sido encontrada.

Johnson foi morto depois que a polícia usou uma bomba-robô no local onde ele estava escondido.

Depois da morte de Johnson, as autoridades revistaram sua casa, em Mesquite, subúrbio de Dallas. Lá, encontraram "materiais para fabricar bombas, coletes à prova de balas, fuzis, munições e um diário pessoal de táticas de combate", segundo a Polícia.

Os investigadores descartaram qualquer tipo de conexão com alguma organização terrorista, tanto nos Estados Unidos quanto no exterior.

Em sua página no Facebook ele aparece com o braço direito erguido, no gesto que remonta ao movimento radical Black Power de décadas atrás no país. Seu perfil foi retirado do ar nesta sexta.

Suas "curtidas" incluem várias organizações consideradas grupos de ódio pelo Southern Poverty Law Center, instituição que mapeia esses movimentos nos EUA. Entre elas, está o New Black Panther Party (NBPP, "Partido dos Novos Panteras Negras") e a Nation of Islam ("Nação do Islã"), ambos conhecidos por expressar posições fortemente antissemitas e contra os brancos, explicou o SPLC em um comunicado.

Segundo a Polícia, no Facebook, Johnson fala do rapper Richard Griffin, do grupo Public Enemy, conhecido como Professor Griff. Ele é conhecido pelas autoridades como promotor de uma forma "radical de afrocentrismo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos