Justiça de El Salvador declara inconstitucional lei de Anistia

San Salvador, 14 Jul 2016 (AFP) - A Corte Suprema de El Salvador declarou nesta quarta-feira inconstitucional a Lei de Anistia que em 1993 perdoou os crimes cometidos durante a guerra civil de doze anos (1980-1992).

A Lei de Anistia Geral para a Consolidação da Paz de 1993 é inconstitucional por "contrariar o direito ao acesso à Justiça, à tutela judicial e à proteção dos direitos fundamentais", assinala um comunicado do Supremo.

O mesmo comunicado assinala que a lei também viola o "direito à reparação integral das vítimas dos crimes contra a humanidade e crimes de guerra, que constituem graves violações ao direito internacional humanitário".

A Lei de Anistia, aprovada pelo Congresso no dia 20 de março de 1993, foi anulada por "violação" de dois artigos da Constituição salvadorenha relacionados à Convenção Americana sobre os Direitos Humanos e ao Protocolo II de 1977, adicional aos Convênios de Genebra de 12 de agosto de 1949 sobre a proteção das vítimas dos conflitos armados sem carácter internacional.

A anistia salvadorenha contempla a extinção "da responsabilidade civil", o que contraria o direito à indenização por dano moral, pois "impede precisamente uma forma de reparação" prevista na Constituição e no direito humanitário internacional.

A guerra civil salvadorenha, que terminou com a assinatura dos acordos de paz de 16 de janeiro de 1992, deixou em 12 anos mais de 75 mil mortos e 7 mil desaparecidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos