Caos e pânico em Nice depois do atentado no Passeio dos Ingleses

Nice, França, 15 Jul 2016 (AFP) - A queima de fogos acaba de terminar no Passeio dos Ingleses. Cartão postal da Riviera Francesa, a famosa avenida da orla de Nice está lotada quando começa a onda de pânico. Um caminhão sai em velocidade na direção da multidão, deixando mais de 70 mortos.

Poucas horas depois do ataque, na frente do complexo hoteleiro de luxo Palais de la Méditerranée, o caminhão branco, com o motorista já morto, está imóvel, com pneus furados e a porta crivada de impactos de balas, constata um correspondente da AFP.

No Passeio dos Ingleses, dezenas de corpos estão alinhados, cobertos por lençóis brancos.

Poucos minutos depois da tradicional queima de fogos que celebra em toda a França o Feriado Nacional da Queda da Bastilha, por volta de 23h00 locais (18h00 de Brasília) o caminhão saiu atropelando turistas e moradores da cidade que estava voltando para casa.

"Eu tive que proteger meu rosto para não ser atingido por destroços", descreve Robert Holloway, jornalista da AFP presente no local no momento do ataque, que viu várias pessoas sendo atropeladas.

"Ele estava a menos de cem metros de mim, só tive poucos segundos para sair do caminho", relata o repórter. "Depois disso, foi o caos absoluto. Muitas pessoas estavam gritando", ressalta Holloway.

'Pessoas traumatizadas'"Era um clima de grande confusão. Não me lembro ter visto o caminhão avançar", contou Emily Watkins, turista que estava a dezenas de metros do caminhão no momento do ataque, em entrevista à Australian Broadcasting Corporation.

"Ouvi muitos gritos vindos do local onde estava o caminhão, as pessoas corriam na nossa direção sem saber o que estava acontecendo então demos meia-volta e começamos a correr também", continuou.

"Quando estava correndo, ouvi estrondos e achei que fossem fogos de artifícios ou rojões", lembrou a australiana, referindo-se ao tiroteio que acabou com a morte do motorista.

"As pessoas tropeçavam, tentavam entrar em hotéis, restaurantes ou estacionamentos, qualquer lugar que não fosse a rua", completou.

Logo depois do ataque, chamado logo de "atentado" pelas autoridades locais, vários rumores percorreram as ruas da cidade.

Falou-se em tomada de reféns em restaurantes, alimentando ainda mais a onda de pânico. A praça Massena, ponto emblemático do centro de Nice, foi fechada ao público, assim como o Passeio dos Ingleses.

O ministério do Interior acabou informando que não houve tomada de reféns, mas ainda falta esclarecer muitos detalhes sobre circunstâncias do ataque.

Em um prédio localizado perto do Passeio dos Ingleses, dezenas de pessoas foram acolhidas pela zeladora. O dono de um restaurante relatou à AFP ter visto pessoas "traumatizadas" entrar no seu estabelecimento, localizado perto do local. "Todo mundo ficou muito assustado", confessou.

Dezenas de carros de bombeiros e ambulâncias ainda estavam mobilizados no Passeio dos Ingleses à 1h30 da manhã no horário local (21h30 de Brasília), assim como um helicóptero da polícia civil.

rh-vxm-mdm/chp/gkg/lg/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos