Coreia do Norte anunca prisão de desertor acusado de espionar para Seul

Pyongyang, 15 Jul 2016 (AFP) - Pyongyang anunciou nesta sexta-feira a prisão de um desertor norte-coreano acusado de ter participado em um projeto de sequestro de meninas norte-coreanos e suposto envolvimento com os serviços de inteligência sul-coreanos.

Durante uma coletiva de imprensa em Pyongyang, cuidadosamente orquestrada, Ko Hyon-Chol, de 53 anos, confessou ter tentado sequestrar duas órfãs norte-coreano para levá-las para a Coreia do Sul.

"Cometi o crime imperdoável de estar envolvido em uma tentativa de sequestro de crianças", declarou entre lágrimas.

Seul exigiu a libertação de seus cidadãos, incuindo Hyon-Chol, e sua repatriação imediata.

Este caso acontece depois da fuga para o sul, em abril, de um grupo de norte-coreanos que trabalhavam em um restaurante norte-coreano na China.

A Coreia do Norte insiste que estas mulheres foram sequestradas pelo Serviço Nacional de Inteligência (NIS), os serviços secretos sul-coreano, mas Seul afirma que eles cruzaram para o sul por vontade própria.

Ko Hyong-Chol explicou que foi preso e maio, depois de ter ingressado no país via China.

Ko Hyon-Chol fugiu da Coreia do Norte em janeiro de 2013 para a China, onde viveu cerca de um ano, para depois ir para a Coreia do Sul, em 2014, pasando pelo Laos e Tailândia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos