Restabelecer pena de morte na Turquia minará adesão à UE, diz Alemanha

Berlim, 18 Jul 2016 (AFP) - Restabelecer a pena de morte na Turquia, como evocou o presidente Recep Tayyip Erdogan, significará o "fim das negociações de adesão" à União Europeia, declarou nesta segunda-feira o porta-voz do governo alemão.

"A Alemanha e a UE têm uma posição clara: rejeitamos a pena de morte categoricamente", declarou Steffen Seibert, porta-voz do governo alemão. "A introdução da pena de morte na Turquia significaria o fim das negociações de adesão à União Europeia", acrescentou.

Seibert também declarou que a Turquia viveu "cenas indignantes de arbitrariedade e vingança" em relação aos soldados suspeitos de terem participado do golpe de Estado frustrado contra o presidente Erdogan.

"Nas primeiras horas consecutivas ao fracasso do golpe de Estado vimos cenas indignantes de arbitrariedade e de vingança em relação aos soldados na rua", disse o porta-voz, acrescentando que "isso é inaceitável".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos