Argentina: 'amamentaço' contra censura a mulher que amamentou em público

Buenos Aires, 20 Jul 2016 (AFP) - Mulheres argentinas se autoconvocaram pelas redes sociais para um 'amamentaço' de protesto no sábado em todo o país, em solidariedade ao caso de uma mãe que foi expulsa pela polícia de um lugar público por dar o peito ao seu bebê.

Constanza Santos, de 22 anos, foi retirada à força por duas policiais mulheres de uma praça da cidade de San Isidro, na região metropolitana de Buenos Aires, quando amamentava seu filho Dante, de nove meses de idade.

"Pediram a minha carteira de identidade. Me disseram que era proibido amamentar em público. A policial mais jovem me segurou pelo braço e me disse: 'você vai ter que se retirar, ou será resistência à autoridade'. Então fui embora com o bebê chorando", contou Santos à imprensa.

Santos disse, ainda, que a Delegacia da Mulher se negou a registrar sua denúncia.

San Isidro é uma das zonas mais nobres ao norte da capital. O prefeito é Gustavo Posse, do partido direitista Propuesta Republicana (PRO), o mesmo do presidente argentino, Mauricio Macri.

A reação de Posse foi se solidarizar com a mulher. O prefeito ordenou a abertura de uma investigação sobre o caso. O Ministério de Segurança convocou as mulheres policiais para que deponham.

As manifestantes estão convidando todas as mães a amamentarem, na tarde de sábado, em praças, como a que há ao redor do Obelisco de Buenos Aires, tanto na capital como nas principais cidades provinciais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos