Atirador de Munique era um desequilibrado sem vínculos com o Estado Islâmico

Berlim, 23 Jul 2016 (AFP) - As autoridades alemãs indicaram neste sábado que o homem que na véspera disparou e matou nove pessoas em um shopping em Munique era um rapaz desequilibrado e sem vínculos com o grupo Estado Islâmico (EI).

No entanto, segundo os primeiros elementos da investigação, David Ali Sonboly, um jovem de 18 anos e com dupla nacionalidade, alemã e iraniana, premeditou o crime e atraiu a maioria de suas vítimas através do Facebook, induzindo-as a entrar em uma lanchonete do McDonald atrás de ofertas com descontos.

"Partimos do princípio de que este caso se trata de um ato clássico de um desequilibrado sem nenhum tipo de motivação política", afirmou o representante do ministério Público.

"Não há absolutamente qualquer vínculo com o Estado Islâmico", declarou, por sua parte, o chefe da polícia de Munique, Hubertus Andrä.

A polícia achou indícios de que o jovem sentia grande fascínio pelos assassinatos em massa e que juntava informações sobre pessoas desequilibradas e autoras de chacinas, como livros e artigos de jornais.

Segundo o ministro do Interior, Thomas de Maizière, Sonboly também teria sofrido bullying quando criança devido a seu comportamento introvertido.

A polícia deve determinar ainda como ele conseguiu a arma do crime, uma pistola Glock de calibre 9 mm, comprada de forma ilegal e que teve o número de série apagado.

- Fascinado por Anders Breivik -Os investigadores disseram existir um vínculo "evidente" entre este tiroteio e o assassino supremacista branco norueguês Anders Behring Breivik.

O tiroteio em Munique aconteceu justamente no dia em que o massacre de 77 pessoas cometido pelo radical de direita norueguês completava 5 anos.

O autor da matança, filho de um taxista e uma dona de casa iranianos de origem xiita que pediram asilo à Alemanha no final dos anos 1990, aparentemente padecia de uma forma de depressão, assinalou, por sua vez, o promotor da cidade, Thomas Steinkraus-Koch, pedindo prudência sobre as informações que indicavam que o jovem teria estado submetido a um tratamento psiquiátrico.

O alemão-iraniano se suicidou após abrir fogo nas imediações de um shopping center, matando nove pessoas e ferindo outras 16.

Em todo o país, as bandeiras ondeavam a meio mastro em homenagem às vítimas, sobre as quais ainda existem poucas informações.

Por ora, sabe-se que havia ao menos três kosovares, três turcos e um grego entre as vítimas, a maioria de jovens, segundo as respectivas autoridades desses países.

Em sua primeira reação à chacina, a chanceler alemã Angela Merkel evocou uma "noite de horror".

"O povo de Munique passou uma noite de horror", declarou neste sábado em sua primeira reação depois do tiroteio.

"Uma noite como esta é muito difícil para todos", acrescentou.

- 'Nunca o vi chateado'-O autor do tiroteio atuou sozinho e não era fichado pela polícia. Segundo a polícia, o atirador armou uma emboscada hackeando a senha no Facebook de uma pessoa para fazer um post chamando pessoas para uma promoção de descontos no McDonald's que ficava no shopping Olympia.

A polícia havia indicado na véspera que suspeitava de um ato terrorista, mas depois se mostrou se mostrou mais prudente quanto a esta possibilidade.

Pela manhã deste sábado, as forças de segurança realizaram uma revista na casa do rapaz, onde acharam muito material relativo a violências e crimes em massa.

Uma vizinha do imóvel, no entanto, o definiu como "uma boa pessoa, que sorria como qualquer pessoa normal".

"Nunca o vi chateado ou soube que tivesse problemas com a polícia ou os vizinhos", afirmou à AFP Delfye Dalbi, de 40 anos.

Em um vídeo amador difundido nas redes sociais na noite de sexta e autentificado pela polícia, é possível ver no telhado do shopping um homem insultando outro, vestido de negro e com uma pistola na mão.

Em resposta aos insultos do outro indivíduo, o agressor responde: "Sou alemão, nasci aqui. Em um bairro do Hartz IV", nome do auxílio desemprego recebido por muitos beneficiários. "Estava em tratamento hospitalar", disse ainda.

A matança também aconteceu quatro dias depois de um ataque com machado em um trem regional da Baviera, cometido por um solicitante de asilo afegão de 17 anos, que alegou pertencer ao Estado Islâmico.

Segundo o chefe da polícia de Munique, foram achados elementos que indicariam que o rapaz alemão-iraniano acompanhou com muito interesse esse ataque.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos