Mais 48 presos palestinos se unem à greve de fome de outro detido

Quarenta e oito presos palestinos resolveram seguir a greve de fome de outro detido que, apesar de ter cumprido a sua pena, permanece na cadeia e está em greve de fome há 39 dias como protesto, informou uma fonte palestina.

"Quarenta e oito prisioneiros realizam uma greve de fome indefinida em solidariedade a Bilal Kayed e aos dois irmãos Mohamed e Mahmud Balbul", indicou em um comunicado a comissão encarregada das relações dos prisioneiros da Autoridade Palestina.

Após ter cumprido uma pena de 14 anos e meio por suas atividades dentro da Frente Popular de Libertação Palestina (FPLP, a esquerda histórica palestina), Bilal Kayed deveria ter saído da prisão em 15 de junho.

Mas nesse dia as autoridades israelenses decidiram colocá-lo em uma prisão administrativa, um controverso regime extrajudicial que permite Israel manter detido por tempo indeterminado os suspeitos, sem notificá-los das razões, nem garanti-los um processo.

Como protesto, Bilal Kayed começou uma greve de fome que custou várias internações no hospital, segundo responsáveis palestinos. Nascido em Nablus, norte da Cisjordânia ocupada, Bilal Kayed, de 35 anos, já perdeu 30 quilos.

Os irmãos Balbul, por sua vez, estão fazendo greve de fome há 20 dias para também denunciar sua prisão administrativa.

Mais de 700 prisioneiros palestinos estão em detenções administrativas, segundo diferentes fontes.

Os presos palestinos costumam realizar greves de fome para denunciar esta forma de detenção ou suas condições de aprisionamento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos