China fecha vários sites de informação

Pequim, 25 Jul 2016 (AFP) - As autoridades chinesas fecharam vários sites de informação acusados de publicar artigos sobre temas sensíveis, anunciou nesta segunda-feira a imprensa oficial.

Grandes portais chineses, tais como Sina, Sohu, Netease e iFeng, tiveram que fechar algumas de suas páginas de informação após o departamento de controle chinês acusá-las de realizar "atividades que violam leis e regulamentos", segundo indicou o jornal Beijing News.

Em teoria, os jornalistas dos portais de internet privados na China só estão autorizados a publicar conteúdo sobre esportes ou entretenimento, enquanto as questões sociais ou políticas devem ser veiculadas apenas pelos meios de comunicação oficiais, como a agência Xinhua.

No entanto, alguns destes portais, motivados por razões comerciais, criaram as suas próprias equipes de investigação jornalística para competir com as informações que circulam nas redes sociais.

A censura aumentou consideravelmente desde a chegada ao poder em 2013 do presidente Xi Jinping.

Em fevereiro, Xi visitou a televisão pública CCTV e disse que a mídia precisa se concentrar em "informações positivas" e "falar da vontade do partido e proteger a autoridade e unidade do partido".

Somente no segundo trimestre de 2016 o governo chinês fechou ou suspendeu a licença de 1.475 sites e excluiu 12.000 contas em uma onda de repressão às "informações ilegais na internet", segundo o departamento do ciberespaço.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos