Caminhão-bomba explode em frente a hotel em Cabul

Cabul, 1 Ago 2016 (AFP) - Um potente caminhão-bomba foi lançado contra um hotel bastante frequentado por estrangeiros em Cabul e explodiu, na madrugada desta segunda-feira (horário local) - informaram uma fonte de segurança e a imprensa local.

Ainda não há informações sobre vítimas do ataque, reivindicado pelos talibãs.

De acordo com a fonte de segurança consultada pela AFP, "um caminhão carregado de explosivos impactou a entrada do hotel Northgate".

Situado próximo da base aérea americana de Bagram, no norte de Cabul, o Northgate é um complexo fortemente protegido com muros reforçados de segurança e com torres de vigilância.

As comunicações telefônicas com o hotel ficaram interrompidas imediatamente depois do ataque.

Em mensagem postada no Twitter, os talibãs disseram que o caminhão lançado contra o hotel pertencente aos "invasores americanos" abriu caminho para que combatentes entrassem na instalação com lança-granadas e armas.

"Há uma centena de invasores americanos mortos", tuitou o porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid.

A Polícia negou que tenha havido tiroteio, e o responsável pelas investigações criminais, Feraidoon Obaidi, disse à AFP que ainda não sabia se havia vítimas pelo ataque.

Precedida por um corte de energia, a poderosa deflagração aconteceu por volta de 1h30 local (18h, horário de Brasília). O estrondo ecoou na cidade.

Comandos afegãos isolaram as principais vias que levam ao Northgate, e forças especiais estrangeiras já estão na área afetada, como informa a emissora de televisão local Tolo.

Esse ataque acontece mais de uma semana depois que 80 pessoas morreram, e 230 ficaram feridas, em dois ataques a bomba na capital afegã, o mais letal nessa cidade em 15 anos.

O Estado Islâmico (EI) assumiu a responsabilidade pela ofensiva. O grupo extremista tem feito uma incursão gradual no Afeganistão, desafiando os talibãs em seu próprio território.

Em junho, no mês do Ramadã, Cabul foi alvo de outros dois ataques.

Em 20 de junho, foram assassinados saindo da zona de segurança 14 guardas nepaleses contratados para proteger embaixadas ocidentais.

No dia 30 desse mesmo mês, outro duplo atentado suicida contra um comboio de cadetes da Polícia matou 30 soldados recém-formados.

De acordo com números da ONU divulgados na semana passada, entre janeiro e junho deste ano, 1.601 civis morreram, e 3.565 ficaram feridos em combates e atentados no país.

us-ac/rb/mb/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos