Papa encerra JMJ com grande missa e anuncia próxima edição no Panamá

Cracóvia, Polónia, 31 Jul 2016 (AFP) - Com uma grande missa, durante a qual pediu aos jovens que façam do Evangelho o "navegador" de suas vidas, e da oração, o primeiro "chat" de cada dia, o papa Francisco encerrou neste domingo na Polônia a 31ª edição da Jornada Mundial da Juventude.

A próxima edição será em 2019, no Panamá.

O pontífice argentino partiu com uma hora de atraso, às 19h30 locais, para Roma, após uma visita de cinco dias na Cracóvia marcada por seus pedidos contra a guerra, pelos refugiados e por seu comovente percurso no campo de extermínio nazista de Auschwitz.

Na presença do presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, o papa afirmou que esse país sediará a próxima edição da JMJ, o que foi festejado por uma multidão de jovens sob uma chuva de confete branco.

"Anuncio com alegria que a próxima Jornada Mundial da Juventude (...) será em 2019 no Panamá", disse o pontífice argentino, um comunicado que muitos latino-americanos esperavam.

"O povo do Panamá se sente orgulhoso do fato de o Santo Padre ter reconhecido nosso país, cujos valores de paz, diálogo e convivência são similares aos que a JMJ carrega", disse Varela em um comunicado.

O presidente centro-americano, que acompanhou 1.800 jovens panamenhos que viajaram a Cracóvia para participar do evento e que reuniu mais de dois milhões e meio de jovens para a missa de encerramento, anunciou que dará todo seu apoio para o sucesso da edição em seu país.

"A JMJ é um poderoso chamado aos jovens para a construção de um mundo melhor", disse.

A primeira edição na América Central estará marcada, certamente, pelo estilo e calor caribenhos. "Será uma festa", prometeu o bispo panamenho José Domingo Ulloa.

Também na Cracóvia, o cardeal panamenho José Luis Lacunza declarou que seu país tem todas as condições de organizar a JMJ e que a Igreja deseja que esse evento seja um "bálsamo" para a juventude da América Latina, assolada pela exclusão, pela pobreza, pelo tráfico de drogas e de pessoas.

O Panamá conta com 3,6 milhões de habitantes, a grande maioria católica, embora com uma presença cada vez maior de igrejas evangélicas.

A cada edição, a JMJ atrai centenas de milhares de jovens de todas as partes do mundo. Eles participam de várias atividades de reflexão, além de eventos culturais e artísticos, o que pode representar um verdadeiro desafio para esse país tão pequeno.

"Primeiro, quero agradecer a Deus. É como um milagre. Agradeço também ao Papa e ao presidente por tudo isso. Estamos superfelizes. É uma bênção. Meu Deus, que felicidade!", disse à AFP a panamenha Ivana Urrutia, de 16 anos, entre os presentes na grande festa da juventude católica.

O Evangelho, um navegador; a oração, um chatAos jovens de todo o mundo que passaram a noite ao ar livre no imenso campo de Brzegi, nos arredores da Cracóvia, o papa convocou a multidão a transformar o Evangelho no "navegador" de suas vidas e a fazer da oração seu primeiro "chat" do dia.

O Papa usou essa linguagem informática original na homilia de encerramento da JMJ, diante de dois milhões e meio de pessoas, um número que a polícia local não quis confirmar.

"O Senhor espera que, entre todos os contatos e os chats de cada dia, esteja em primeiro lugar o fio de ouro da oração", disse Francisco.

"Deseja que Sua Palavra fale a cada uma de suas jornadas, que o Seu Evangelho se torne o de vocês e seja seu 'navegador' nas estradas da vida", acrescentou.

O Papa chegou ao imenso Campo da Misericórdia, a 12 quilômetros da Cracóvia, a bordo de um papamóvel branco, onde foi aplaudido por uma multidão entusiasmada de jovens de todas nacionalidades, acampados para compartilhar e meditar sob as estrelas sobre fraternidade e fé.

Francisco recomendou aos jovens que rejeitem a tristeza, "um vírus que infecta e bloqueia tudo, que fecha todas as portas, que impede de reiniciar a vida, de recomeçar".

"Sempre nos aguarda com esperança, mesmo quando nos fechamos nas nossas tristezas e dores, remoendo continuamente as injustiças recebidas e o passado. Mas, afeiçoar-nos à tristeza, não é digno da nossa estatura espiritual", explicou.

Com o mesmo tom, pediu aos jovens que instalem "a conexão mais estável: a de um coração que vê e transmite o bem sem se cansar" e que, além disso, é gratuita, completou.

Na véspera, nesse mesmo campo, o Papa convocou a multidão de jovens a não "vegetar" confortavelmente no sofá, em um novo e original apelo aos católicos para que construam um mundo mais justo.

Um discurso que continha muitas das diretrizes que transmite como chefe da Igreja católica, direto e por vezes também espirituoso, com o qual o Papa argentino quis sacudir a consciência dos jovens e converter se "Woodstock católico" em um momento de reflexão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos