Atentado talibã contra hotel de Cabul deixa um policial morto

Cabul, 1 Ago 2016 (AFP) - Um atentado executado na madrugada desta segunda-feira pelos talibãs, com o avanço de um caminhão-bomba contra um hotel para estrangeiros em Cabul e o posterior confronto com as forças de segurança, deixou um policial morto.

Depois de sete horas de ataque, durante as quais os criminosos conseguiram invadir o hotel Northgate, protegido por grandes muros, o chefe de polícia da capital afegã, Abdul Rahman Rahimi, anunciou o fim da operação que também deixou três agentes feridos.

Os três talibãs que executaram o ataque, incluindo o motorista do caminhão, morreram no atentado.

"As operações terminaram, sem outras vítimas dentro ou fora do hotel", disse Rahimi.

Na madrugada desta segunda-feira, pouco depois de 1h30, a capital afegã acordou com o barulho de uma forte explosão, seguida por um corte de energia elétrica de váriso minutos, depois que o caminhão-bomba atingiu o muro do hotel.

Os talibãs reivindicaram de maneira imediata a operação e anunciaram a detonação de um caminhão repleto de explosivos na entrada do hotel Northgate, que já havia sido atacado em 2013.

O hotel fica na estrada de Bagram, perto do aeroporto militar e do aeroporto internacional de Cabul.

Em mensagem postada no Twitter, os talibãs anunciaram que o caminhão lançado contra o hotel pertencente aos "invasores americanos" abriu caminho para que combatentes entrassem na instalação com lança-granadas e armas.

As forças de segurança e a polícia estabeleceram um amplo perímetro de segurança ao redor do hotel. Durante a operação não divulgaram informações, ao contrário dos talibãs, que clamaram vitória nas redes sociais.

O porta-voz dos insurgentes, Zabihullah Mujahid, chegou a afirmar que os talibãs "mataram e feriram uma centena de invasores americanos".

As forças especiais aguardaram o amanhecer para atuar e mataram os dois talibãs que permaneciam entrincheirados.

O ataque foi o primeiro em Cabul desde a ação de 23 de julho, reivindicada pelo Estado Islâmico (EI), que deixou 80 mortos e 231 feridos. Os ataques suicidas tiveram como alvo uma manifestação da minoria xiita hazara e foi o mais grave na história da cidade.

O grupo extremista está presente em vários distritos da província de Nangarhar (leste), na fronteira com o Paquistão.

O hotel Northgate, que hospeda civis e militares estrangeiros que trabalham para as tropas que atuam na operação Resolute Support, liderada pela Otan, já havia sido atacado em julho de 2013.

Cinco homens-bomba entraram no local na ocasião e mataram nove pessoas. Depois foram mortos pelas forças de segurança.

Em junho, no mês do Ramadã, Cabul foi alvo de outros dois ataques.

Em 20 de junho, foram assassinados saindo da zona de segurança 14 guardas nepaleses contratados para proteger embaixadas ocidentais.

No dia 30 desse mesmo mês, outro duplo atentado suicida contra um comboio de cadetes da Polícia matou 30 soldados recém-formados.

De acordo com números da ONU divulgados na semana passada, entre janeiro e junho deste ano, 1.601 civis morreram, e 3.565 ficaram feridos em combates e atentados no país.

emh-us-ach/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos