Detidos 11 militares acusados de ter atacado hotel onde Erdogan estava

Istambul, 1 Ago 2016 (AFP) - O exército turco deteve 11 soldados acusados de ter formado parte do comando que atacou o hotel de Marmaris (oeste da Turquia) onde se encontrava o presidente turco Recep Tayyip Erdogan no início do golpe de Estado frustrado de 15 de julho, anunciou nesta segunda-feira o ministério do Interior.

Durante a detenção ocorreu um tiroteio, indicou o ministério.

Os militares, foragidos há 18 dias, foram capturados graças a um grupo de caçadores de javalis na região de Ula, perto de Marmaris, que detectaram sua presença e avisaram ao exército, indicou.

A agência de notícias turca Anatolia informou que 37 militares formavam parte do comando encarregado de neutralizar Erdogan em Marmaris.

Nesta segunda-feira, o vice-primeiro-ministro turco, Numan Kurtulmus, disse que um soldado do comando seguia foragido.

Pouco antes, um responsável turco havia dito que todos os seus membros estavam detidos.

fo-iw/pt/ia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos