Mais de 4.000 migrantes mortos durante o ano (OIM)

Genebra, 2 Ago 2016 (AFP) - Mais de 4.000 migrantes e refugiados perderam a vida durante o ano, o que representa um aumento de 26% em relação ao mesmo período de 2015, anunciou nesta terça-feira a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Um total de 4.027 migrantes morreram quando tentavam cruzar o Mediterrâneo, mas também nas estradas do norte da África e na fronteira entre Turquia e Síria, informa um comunicado da agência com sede em Genebra.

Deles, 3.120 pessoas morreram no Mediterrâneo entre 1º de janeiro e 31 de julho deste ano, segundo a OIM.

A rota marítima mais perigosa continua sendo a travessia à Itália, que deixou 2.692 mortos, muito à frente dos itinerários à Grécia (383 mortos) e à Espanha (45 mortos).

Quanto aos desaparecidos no Mediterrâneo, a OIM aumentou nesta terça-feira o balanço após a descoberta recente de 120 corpos nas praias da cidade líbia de Sabrata. Nem esta organização, nem a guarda-costeira líbia informaram se estes desaparecimentos se devem a um ou a vários naufrágios de embarcações de migrantes.

Segundo o porta-voz da OIM, Joel Millman, parece que os passageiros tentavam chegar à Itália.

Além do Mediterrâneo, o norte da África foi neste ano a região mais perigosa, com 342 migrantes mortos.

bs-gca/erl/age/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos