Tribunal de Malauí nega liberdade a soropositivo que desvirginava menores

Blantyre, Malawi, 5 Ago 2016 (AFP) - Um tribunal do Malauí negou nesta sexta-feira o pedido de liberdade sob fiança de um homem soropositivo acusado de receber dinheiro para ter relações sexuais com mais de 100 adolescentes virgens, no marco de um ritual organizado por suas famílias.

Eric Aniva, de 45 anos, foi detido no final de julho após confessar em uma entrevista à rede de televisão BBC que tinha mantido relações sexuais com meninas jovens, em troca de entre quatro e sete dólares pagos por seus pais, apesar de ser soropositivo.

Na sexta-feira, o juiz Anderson Masanjala rejeitou o pedido de libertação sob fiança, já que era "razoável que Aniva continuasse em detenção provisória durante a investigação da polícia".

Aniva, oriundo de Nsanje (sul), compareceu sem advogado, por falta de condições financeiras, ante o tribunal dessa cidade, que estava lotado.

Segundo um costume local praticado no sul do Malauí, os pais de adolescentes contratam um homem, apelidado "a hiena", para que suas filhas percam a virgindade quando começam a menstruar, um ritual que dura três dias.

Com esta prática, pretende-se ensinar as jovens a serem boas esposas e protegê-las de doenças ou outras desgraças que podem causar prejuízos às suas famílias ou às suas comunidades.

Em seu testemunho, Aniva afirmou que tinha mantido relações sexuais sem proteção com 104 meninas, algumas com apenas 12 anos, apesar de saber que era portador do vírus da aids, porque a tradição proibia o uso de preservativos.

Se for declarado culpado, o réu pode ser condenado à cadeia perpétua por ter mantido relações sexuais com menores de 16 anos.

O julgamento começará em 15 de agosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos