Defensores de Chelsea Manning protestam contra acusação por tentativa de suicído

Washington, 10 Ago 2016 (AFP) - Apoiadores de Chelsea Manning, transgênero da inteligência que está presa por vazar documentos, enviaram uma petição nesta quarta-feira pedindo às Forças Armadas que ela não seja punida pela tentativa de suicídio.

Manning poderia ser acusada por "ofensas administrativas", que fariam com que ela encarasse um confinamento na solitária por tempo indeterminado, devido à tentativa de suicídio no mês passado.

Os defensores de Manning disseram que conseguiram juntar na petição mais de 115.000 assinaturas e levaram ao secretário das Forças Armadas, Eric Fanning, pedindo que ele retirasse as acusações.

Daniel Ellsberg, que ficou conhecido nos anos 1970 por vazar documentos secretos do Pentágono, está entre esses defensores.

"Nenhum dano se resultou do vazamento de Chelsea Manning. Não dar a ela o tratamento médico apropriado e acrescentar acusações por sua tentativa de suicídio destruiriam-na como ser humano", disse em uma declaração.

"Essas acusações me parecem algo sádico e ultrajante".

Originalmente chamada de Bradley, Manning foi denunciada em agosto de 2013 por espionagem e outros crimes depois de admitir ter liberado documentos sigilosos ao site WikiLeaks.

Após ser sentenciada, Manning anunciou que se identificava como mulher e obteve uma autorização legal para mudar seu nome e receber uma terapia hormonal.

Ela permanece, entretanto, em uma prisão militar masculina no Kansas, onde está apelando a sentença de 35 anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos