Acusado suspeito de vínculo com autores de assassinato de padre francês

Paris, 12 Ago 2016 (AFP) - Um homem de 21 anos que visitou os assassinos do padre Jacques Hamel, que morreu degolado em uma igreja francesa, pouco antes do crime, foi formalmente acusado nesta sexta-feira por um juiz anti-terrorista e permanece detido, informou uma fonte judicial.

O suspeito, que foi preso na segunda-feira perto de Toulouse, foi acusado por "associações de malfeitores relacionados com um grupo criminoso terrorista", indicou a fonte. Antes do atentado ocorrido em 26 de julho, o suspeito visitou os dois autores na região de Rouen, no oeste da França.

O homem suspeito entrou em contato com eles pelo aplicativo Telegram, um sistema de mensagens criptografadas que também foi utilizado pelos autores do crime para fazer contato entre eles.

Naquele dia, Adel Kermiche e Abdel Malik Petitjean, ambos com 19 anos, pegaram como reféns cinco pessoas e degolaram o padre durante a celebração da missa em Saint Etienne du Rouvray. Ambos foram mortos pela polícia.

O assassinato foi reivindicado pela organização extremista Estado Islâmico (EI).

Os investigadores chegaram ao preso já que os números dos autores estavam entre seus contatos, revelou a fonte próxima à investigação.

Ao ser interrogado, o suspeito explicou que no dia 24 de julho viajou a Saint Etienne du Rouvray para assistir um "curso de religião" com várias pessoas, entre elas os dois autores do ataque, indicou a fonte.

Após passar quatro dias preso, o suspeito passou para prisão provisória.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos