EUA: protestos em Milwaukee após morte de suspeito

Washington, 14 Ago 2016 (AFP) - Uma multidão indignada apedrejou na noite de sábado carros da polícia e incendiou lojas na cidade americana de Milwaukee, depois que a polícia abateu um homem armado que tentava fugir.

Este último incidente violento ocorreu depois que vários policiais americanos foram alvos de ataques mortais, como represália pelas mortes de negros desarmados por policiais brancos.

A polícia disse que precisou dispersar 200 manifestantes e foram ouvidos alguns tiros durante os distúrbios, que terminaram na madrugada deste domingo.

Um policial foi levado a um hospital com um ferimento na cabeça depois de ter sido atingido por um tijolo. Os manifestantes também quebraram os vidros de um carro de patrulha que estava vazio e atearam fogo em outro veículo oficial, disse a polícia.

Ao menos três pessoas foram presas.

O protesto começou, segundo a polícia, depois que duas pessoas interceptadas em seu carro fugiram a pé.

"Na perseguição, um agente abriu fogo contra um suspeito armado com uma pistola semiautomática", que morreu na hora, disse em um comunicado o Departamento de Polícia de Milwaukee (Wisconsin, centro-norte dos Estados Unidos).

Trata-se de um homem de 23 anos, com uma ficha criminal volumosa, de acordo com as informações oficiais, ressaltando que a pistola que carregava havia sido roubada em março.

O prefeito da cidade, Tom Barrett, disse que o suspeito foi atingido por dois tiros, um no peito e outro no braço.

O incidente provocou um protesto e durante a noite a situação se deteriorou e "saiu do controle", indicou Barrett.

No início dos confrontos, a multidão ateou fogo a um posto de gasolina, a uma loja de produtos cosméticos e a outra de peças de automóveis, disse o Milwauke Journal Sentinel, um jornal desta cidade situada 130 km ao norte de Chicago.

Às 02h20 locais (04h20 de Brasília), a polícia disse que havia restaurado a ordem e reduzido sua mobilização.

"Alerta""Há muita, muita gente boa que vive nesta área (...) que não quer estar diante desta violência e quer que a ordem seja restaurada", disse Barrett a repórteres enquanto pedia calma.

Estes incidentes ocorreram em um contexto de tensões por uma série de mortes nos últimos tempos de negros desarmados em Minnesota e Louisianna.

Estas agressões também desencadearam o assassinato de vários policiais em aparentes atos de represália em cidades como Dallas, no Texas, e Baton Rouge, Louisianna.

O vereador Khalif Rainey, que representa a área de Milwaukee, na qual foram registrados os distúrbios, fez um "chamado de alerta" pela violência.

"A comunidade inteira viu e foi testemunha de como Milwaukee, Wisconsin, se converteu no pior lugar para os americanos negros viverem no país inteiro", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos