Polícia não vê 'indícios de terrorismo' em ataque em trem da Suíça

Genebra, 14 Ago 2016 (AFP) - A polícia suíça investigava neste domingo o ataque que deixou dois mortos, entre eles o agressor, e cinco feridos, em um trem no leste da Suíça, excluindo até o momento a pista terrorista.

O criminoso, um jovem suíço de 27 anos, assim como uma de suas vítimas, uma mulher de 34, sucumbiram na manhã deste domingo aos seus ferimentos, anunciou a polícia.

"A questão da motivação fica sem resposta", afirmou a polícia regional de Saint Gallen, explicando que "neste momento não há nenhum indício de que se tratasse de um ato terrorista ou com motivação política".

"O terrorismo não é nossa principal teoria", insistiu à AFP o porta-voz Bruno Metzger, afirmando que havia outros motivos plausíveis, sem citá-los.

No início da tarde de sábado, o jovem lançou líquido inflamável sobre alguns passageiros e no vagão, antes de esfaquear vários deles, ferindo seis pessoas, incluindo uma menina de seis anos.

Depois de visualizar as imagens das câmeras de segurança, a polícia afirmou que ele agiu sozinho.

O trem se aproximava da estação de Salez, no nordeste da Suíça, perto da fronteira com Áustria e Liechtenstein.

As vítimas - dois homens de 17 e 50 anos, três mulheres de 17, 34 e 43, e a menina de 6 - foram hospitalizadas com queimaduras e ferimentos provocados por faca.

O agressor, que não tinha antecedentes criminais, foi operado na noite de sábado e não pôde ser interrogado pela polícia, segundo a agência ATS. Outra mulher e a menina seguem em estado grave.

Conhecia as vítimas?Um dos feridos não era um passageiro, mas um homem que estava na plataforma da estação de Salez e se precipitou ao interior do trem para tirar o agressor, cuja roupa estava em chamas, explicou a polícia.

"Sua intervenção provavelmente evitou o pior", disse um porta-voz policial ao jornal Blick.

A jovem falecida foi quem sofreu os ferimentos mais graves, ao ter recebido muito líquido inflamável na roupa, o que aumenta as suspeitas da polícia de que poderia ter sido o alvo do ataque.

Mas Metzger disse que não podia confirmar esta informação e outro porta-voz policial, Hanspeter Kruesi, indicou à AFP na noite de sábado que não parecia que o ataque estivesse dirigido contra apenas uma pessoa.

Neste estado da investigação não sabemos se o agressor conhecia suas vítimas, disse.

A casa do homem, em um cantão próximo a Saint Gallen, foi inspecionada na noite de sábado, assim como o trem onde o ataque ocorreu.

Fotos publicadas pela imprensa suíça mostravam os assentos do vagão queimados e uma janela destruída.

A polícia explicou que por enquanto não divulgará informações sobre a identidade ou a nacionalidade dos feridos.

Este ataque foi o último de uma série de atos violentos, muitas vezes fatais, registrados na Europa nos últimos meses. Entre os incidentes ocorreram atentados reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos